sexta-feira, 7 de outubro de 2011

W.T.F?!

Ola leitor(es) do P.N.L.!

Finalmente a sexta feira chegou, e como todos sabem sexta é dia de butékis negádis e doorgas, então provavelmente segunda feira escutarei algumas histórias de loucuras e burradas feitas no final de semana (e se tiver paciência ponho no blog falando que aconteceu comigo e pagar pinta de descolado- duvido muito);

Mas  dúvido que alguém neste final de semana consiga me surpreender mais que esta notícia.

Sem brincadeira, sinceramente não acredito que isto seja verdade! O que aconteceu com o ser humano? Onde está o bom senso? O que acontecerá com a Maísa do SBT se isto for aprovado, caso ela viaje pra Florida?

Até a próxima, irei curtir meu final de semana com um pouco menos de fé no ser humano.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Filosofia de buteco

Ola querido(s) leitor(es) do PNL!
Após longa ausencia volto a cá pra com algumas mal traçadas linhas.

Não quero repetir aquele discurso saudosista, irritante e que nos faz parecer velhos e nostalgico  do tipo:
"Na minha época era melhor" ou então "Hoje em dia não se faz mais coisa que presta e não saberiam reconhecer nem que caísse no seu colo!".

Mas sempre de vez em quando é isso que me vem à cabeça. Seja quando passo por uma Quest digna de uma epopeia grega  para achar um par decente de calças (assunto para outro post), seja quando caio de paraquedas em alguma rodinha de conversa ou baladinha moderna, ao assistir MTV ou quando vejo isso
:
Ok, sei o que está pensando: a animação em si não é a melhor coisa do mundo quando se pensa em Walt Disney e seus trunfos (mas continua divertida e agrada bastante minha pessoa);  a Srta. violino é tão pegavel quanto a Olivia Palito; o enredo é previsível e plagio descarado de Romeo e Julieta.

Mas convenhamos tudo isto foi feito a mão, 24quadros de imagem para 1 seg. de movimento, em 1900 e guaraná de rolha! (adoro esta expressão, não sei por que... divago).Mas este não é o ponto da questão. Não sei se vocês perceberam então irei dar alguns outros exemplos do que me motivou minimamente a escrever este post:




Além do traço e  da qualidade da animação perceberam algo diferentes nestes programas infantis que não vemos nos atuais?- e por atuais coloco aí uns 14 anos... no minimo.
Isso mesmo a qualidade musical da coisa! Não sei quanto a vocês mas ultimamente o gosto musical alheio, principalmente da molecada com seus a lá 10-17 anos, tem me dado uma certa "canseira".

Fatores como diferença de idade, cultura, religião, preferencia sexual (EMOs e Coloridos nesse caso) e N outras coisas são responsáveis por essa diferença, obvio. Mas o que me espanta não é o fato de gostarem de "música ruim", mas sim não saberem definir ou conhecer outros tipos!

Não sei sei se isto se deu na maioria, mas desde novo meu circulo social próximo e  nem tão proximo assim (primos, colegas de escola, natação, criança desconhecida que conversaria  em alguma festa de aniversario ou parquinho, etc) sabia cantar as músicas do S.P.C, Mamonas Assassinas, É o Tchan, Leandro e Leonardo , etc.da mesma forma que cantarolar um pedacinho da sinfonia de Bethoven.

Vejo que de certa forma sem percebermos fomos desde muito novos bombardeados através de "lixo televisivo", como diriam nossos pais, por musica erudita e/ou de altíssima qualidade. Sem percebermos tivemos acesso a um bem cultural que não era de tão fácil acesso, e de certa forma até hoje ainda não é, seja por preconceito ou desconhecimento mesmo.
Revendo alguns programas infantis atuais, não consigo parar de pensar que realmente não tem como nos surpreendermos pelo péssimo gosto musical da molecada de 12, 15 anos.

Antes de começar o mimimi nos comentários, quero deixar bem claro e reforçar que percebo que são vários os elementos que contribuem para formar o quadro atual, em que funks são a 9ª maravilha do mundo, perdendo apenas para os pop-rock-axé-nejos universitários e a invenção da pranchinha de cabelo.

Mas queria levantar a necessidade de um olhar mais atento para as possibilidades de que através de formas de entretenimento e lazer "fúteis" é minimamente possível disponibilizar, desde a infância, o acesso  a bens culturais riquissimos que são cada vez menos difundidos capazes de criar seres minimamente criticos e pensantes. Tendo em mente que senão for desta forma com certeza provavelmente uma parcela significativa da população nunca teria/ teve/ tem/ terá acesso aos mesmos.
Como já dizia o poeta:

 "Tudo o que eles falam sobre o jovem não é sério, o jovem no Brasil nunca e levado a sério, isso aewww Cha-Cha-Charlie Borwn!"

#Haters Gonna Hate; #Nem gosto de Charlie Brow #Adoro Criar Tag s#Me Senti no Capinaremos Agora.

terça-feira, 17 de maio de 2011

A trás do balcão

Ola leitor(es) do P.N.L!

Depois acham que é exagero quando digo que a idade mental média do publico Univesitário (por público me refiro a alunos, funcionários, pais, professores, etc) ta cada vez mais proximo do ensino fundamental :

*telefone toca
Eu: Alo, em que possso ajudar?
Mulher: Ah oi, eu queria uma informação do curso...
Eu: Pois não.
Mulher: Queria saber se meu filho tá estudando aí?
Eu: A senhora se refere se está tendo aula neste Campus?
Mulher: Não, não; é se ele ta estudando mesmo... indo nas aulas, tirando notas azuis, essas coisas mesmo.
Eu: Minha senhora essa é uma informaçao que não cabe a nós, só após a entrega dos diários que tenho informaçao sobre notas e nº de presença. Para saber disso voce deve perguntar ao seu filho.
Mulher: Ah eu sei que é, mas voce sabe né, ele já ta no 3º período, eu pergunto e ele responde. Mas não sei se é verdade. Ia parecer que eu sou controladora se eu ficasse insistindo *riso escroto
Eu: Ah sim, IRIA paracer, ligando aqui realmente nao dá essa impressão... *poker face/tom sarcastico.
*seguem-se mais 4 min de vergonha alheia e volto ao trabalho

Na boa, o que anda acontecendo nesse mundo?! O povo ta nos tóchicos? nas enmaconhas? falta Deus no coração? É coisa do capeta? Ou tão passando trote aqui pra me fazer perder a fé no ser humano mesmo?

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Mais Barato que um Mc Donalds!

Ola leitor(es) do P.N.L!

Vim desenterrar esse blog pra tratar de um assunto realmente sério.
Eu podia estar roubando, eu podia estar matando, ou abrindo uma igreja... mas não! Venho aqui para pedir sua ajuda.

Como alguns sabem o Mono-Colors fez essa ilustração lindosa pra divulgar a venda da rifa destinada a ajudar não só os alunos do Bugei de Uberlândia mas a escola em Uberlândia como um todo.
Eu obviamente nao podia ficar fora dessa, então venho a cá lançar a campanha de compra da nossa rifa que afinal de contas é "Mais barato que um McDonalds"! Eu sei que voce deve ta pensando :"Nossa Victor, 10 reais é muito!".

Sim amiguinho(s) dez reais a primeira vista podem parecer uma pequena fortuna nesses tempos de recessão e capitalismo selvagem sob a ditadura do explorador homem branco.
Mas convenhamos no seu gasto mensal... nao menos ainda! no seu gasto semanal, 10 reais fazem de fato tanta diferença?!
Você passaria fome, morreria ou deixaria realmente de fazer algo importante por 10 reais?!

Conhecendo o público deste blog como conheço, posso adiantar que não.
Então mais uma vez repito, ajudem aí, é para uma boa causa. Dar suporte a uma instituição séria como a Kaze no Ry Bugei e evitar que jovens como eu caiam no ostracismo de videogames e a perigosa combinaçao de sedentarimo + engordativos.



Fica a dica pessoal e lembrem-se: "Mais Barato que um Mc Donalds!".

quarta-feira, 6 de abril de 2011

A trás do balcão

Ola leitor(es) do P.N.L! Como já é senso comum, sabemos que o ensino superior se encontra num processo de sucateamento e qualidade de ensino muitas vezes, e infelizmente, duvidável.

Dentre os N motivos para a existência deste quadro; cada dia da minha labuta diária me comprova que talvez, provavelmente, quem sabe, pode ser devido a falta de exames psicotécnicos durante o processo seletivo de ingresso ao ensino superior (tanto para estudantes quanto para professores).

Além das outras pérolas já postei neste brógui, a mais recente me fez considerar com um pouco mais de seriedade a necessidade desse tipo de avaliação antes do ingresso na instituição de ensino superior:

Pessoa:"Alo, é da coord. do curso XXX?"

Eu: "sim é sim"


Pessoa: "então, tenho uma dúvida. Fiz a inscrição pro vestibular no curso de XXX em Ituiutaba e passei; Queria saber o curso é em Ituiutaba mesmo?"


* Minha poker face é ativada, e voz de telemarketing ligada

Eu: "Então, é como consta no nome. Curso de XXX EM Ituiutaba, não tem como ser aqui, é lá mesmo."


Pessoa: "Ah ta brigada, é que ficou meio confuso né, dá pra confudir hehe"


"CONFUSO?!!"O.o

PQP,
sinceramente.... não sei pra que criar cotas e sistemas alternativos de ingresso, pelo visto qualquer um tá podendo entrar numa Universidade federal, basta desligar o bom senso.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Interluxo

Wow! =O
comentários pra esse vídeo são desnecessários.

BIG BANG BIG BOOM - the new wall-painted animation by BLU from blu on Vimeo.

sábado, 19 de março de 2011

A triste realidade... (?)


Não sei se tudo aí foi de fato verdade, mas de qualquer forma é foda; cada um tire suas proprias conclusões AWAY!

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Atrás do Balcão

Ola leitor(es) do P.N.L!

Após uma longa ausência venho por estas mal traçadas lunhas narrar algumas de uma série de pequenas pérolas, que ocorreram no período de ajuste de matrícula, que não foram longas o suficientes pra virar um post de verdade ou curtas o bastante pra serem escritas no twitter.
_______
Aluna: Nossa moço como que preenche esse requerimento? Ponho o nome no campo nome mesmo?... disciplina no campo disciplina?... e assino onde tá assinatura?

Eu: sim... ¬¬'

2 minutos depois

Aluna: Aí moço... errei; ow voce pode me dar outra folha?

Eu: ok, (entrego outra folha)

30 segundos depois

Aluna: Aw... errei de novo moço, isso tá dificil... *mimimi

Eu: O que voce errou? sou eu que irei ler isso mesmo na hora de processar, dependendo do que for nao tem problema.

0.5 segundos depois

Aluna: Então errei meu nome de novo. me dá outra senão vão pensar que sou burra quando verem que errei duas vezes!

Eu: Tarde demais pra isso não acha?, sinto muito.

Aluna: Nossa ow! *mimimi

Eu: (poker face)
________
*O telefone toca e tenho de participar do deplorável diálogo:

Mulher: É do curso X? Ta podendo fazer o ajuste ainda?

Eu: Sim, a secretaria está aberta até as 21h para isso, porém só pode ser feito pessoalmente.

Mulher: Ah então nao pode se fazer pelo telefone?

Eu: Não, apenas pessoalmente.

Mulher: Nossa mesmo, não queria ter de ir aí pra fazer. Como que faz então?

Eu: Apenas pessoalmente minha senhora ¬¬'

Mulher: Nossa, então me explica eu faço oque? Por que não vai dar pra eu ir aí com meu filho...

Eu: É bem rápido, a senhora vem aqui, preenche um formulário com seus dados disciplinas que quer incluir ou excluir e pronto.

Mulher: Não é pra mim não. É pro meu filho.... *ruidos ao fundo

Eu: Então a senhora peça pra ele vir e fazer o requerimento ok?

Mulher: Ah tá, peraí - *voz ao fundo: Pô mãe pergunta que que eu escrevo!- E como que funciona isso, por que ele quer... *voz ao fundo: Quero é tirar uma matéria mãe! tenho de falar tudo pow!- então, ele quer tirar uma matéria.

Eu: Fale pra ele vir aqui e fazer o requerimento, é rapido e fácil, qualquer um consegue fazer sozinho. Boa noite.
Desligo o telefone, no outro dia descubro que o rapaz tinha 1,80 m de altura, barba na cara e quase 25 anos de idade e veio óbviamente acompanhado pela mãe.
__________

Bem... se o trabalho deixar, e a paciência ressurgir volto com mais desaventuras da vida proletária no próximo post.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Now, that's cooking!


Devo dizer que, após esse vídeo, fritar um ovo entrou na lista de: "cool things I do" (logo abaixo de zerar street fighter com o Zangief e lamber meus cotovelos) ¬¬'

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Octopus pie

Ola leitor(es) do PNL!

Apesar do título estranho, neste post voce nao encontrará nenhuma receita de torta exótica a lá programa Ana Maria Braga em dias festivos.

Trago na verdade uma receita de como ficar grudado no seu computador com um sorriso estatalado de um lado ao outro.

Trata-se deste quadrinho on line (e gratuito o que o faz melhor ainda): Octopus pie.


Para nao contar muito já que isso não tem graça ¬¬' , é a principio história de duas garotas que vivem no Brooklyn, New York e suas pequenas desventuras do cotidiano.


O traço é leve, simples, bonito e expressivo. A dinâmica da história é bacana e sempre inova e os personagens mais cativantes que sua paixão da quinta série. Tem a dose correta de realismo, fantasia, humor e pessimismo neurótico. Simplesmente nao tem como não gostar! (já disse que é grátis?!)
Então, clique logo aqui e começe a ler, aproveite esse período de férias pra perder seu tempo em grande estilo!