segunda-feira, 20 de abril de 2009

Papo furado

Olá leitor(es) do P.N.L; como pode ser percebido minha energia elétrica voltou, e eu sobrevivi a crise de abstinência sem sequelas graves; não precisei revirar o lixo alheio ou depredar sanitários públicos.

Porém uma coisa aconteceu, fiquei entediado... muito entediado. E o que fazer, ou o que sobra dentro da sua casa em momentos de tédio em que as possibilidades de atividades se limitam a aquilo e somente aquilo que foi criado antes dos anos 90?

Basicamente as três atividades básicas que qualquer a toa que se preze deve dominar com maestria: Comer, Dormir e Ler*
*não necessáriamente nessa ordem ou grau de importância.

Como comer e dormir são coisas simples e em que somos todos auto-ditadas ,não to com animo de discorrer sobre essas atividades. Vamos falar sobre a leitura então.

Sem internet ou televisão me percebi desligado dos acontecimentos do mundo. A única fonte de noticias que tinha era o carro mensagem anunciando a promoção no sacolão center e um velho jornal da semana passada.
Obvio qual fonte de informaçao escolhi. Ouvi o carro mensagem 3vezes quando percebi que a garganta do narrador já estava ficando cansada e seca resolvi ler as "ultimas" da cidade de Uberlândia.

Me veio um sentimento de nostalgia ao ler o jornal, incrivel a diferença em voce ler um jornal on line, e le-lo no papel. Voce fica com aquela sensação de que de fato está imerso em uma atividade, e "recebendo" informação.

Porém ela é ilusória... já que ler noticias num jornal impresso é quase igual ler as noticias do yahoo post; voce apenas lê as chamadas da noticias: "Governo reduz o ICMS em 15%" e pronto. Não le as outras 40 linhas mas ainda sim se acha o conhecedor do assunto.

Acho que aí está a magia da leitura no "impresso".
Você ao contrario do on line é obrigado a percorrer várias chamadas antes de chegar na matéria especifica que voce quer... então durante esse percurso adquire uma série de frases prontas, e opiniões rasas que lhe dão o grau de bacharel em saber tudo sobre coisa nenhuma*.
*Diga-se de passagem que graças a isso voce acaba se tornando mestre na arte da embromação, pescoçagem e puxar assunto do meio do nada.


É como aquelas histórias, RPG's ou alguns filmes da sessão da tarde em que para conseguir um determinado item voce antes deve conversar com personagens insignifiantes e passar por lugares sem importância par aí sim se mostrar digno do item, e só então perceber que o objetivo não era o fim, mas sim a viajem.

Bem o texto se prolongou mais do que devia, e eu realmente não faço idéia do que estava falando antes... então vou desejando a todos um feliz recesso - com o qual nao fui agraciado.

Nenhum comentário: