sábado, 21 de fevereiro de 2009

Reclamações inuteis

Fato, eu odeio cliches. Também é fato que odeio que minhas vizinhas... 
Mas por que odeio odeio minhas vizinhas? Simples elas são pessoas cliches...
Mas o que vem a ser uma "pessoa cliché"? Uma pessoa cliché não é nada mais, nada menos, nada dividido multiplicado ou fatoriado que uma pessoa escrota.

Ok, minha linha de raciocinio foi muito rápida, irei então desmembrar esse pensamento através de um post inutil, longo e provavelmente repleto de tópicos:

Primeiro o que é cliché?De acordo com o dicionário é"idéia, imagem ou conceito muito divulgado e repetitivo, esteriótipo";De acordo com os manus " ah véi é aquela parada manjada, sabe? tipow... tu vê direto e antes mermo de vê já frago de qual que é";
De acordo com o semianalfabeto que lerá esse post " ah chiclé é baumm... 
a gente masca, é gostoso, faz bola, mas di veiz em qndo gruda no cabelo".

Enfim explicado o que é cliche, automaticamente você leitor d
esse brógui, deveras assaz e perspicaz já consegue ter uma idéia do que é uma pessoa cliché, não? Basicamente é a pessoa que não só faz coisas clichés, mas como também faz elas de formas clichesadas! (?) 
Entendeu agora? Não! então deixe suas dúvidas na sessão de comentários...

Seguindo a minha linha de pensamento, pensativa pensada de forma não muito lógica; Ei de demonstrar (agora em formas de tópicos) exemplos de clichés que eu odeio, que
 consequentemente minhas vivizinhas fazem -de forma clichesada-, o que me faz  odia-las ainda mais, assim como o cliché sem si; me tornando assim um pitizero reclamão cliché!

  • Jogar truco: JOGO DO INFERNO!!(by Ricardo), não há nada que me irrite mais num jogo de cartas que a forma manjada de se jogar truco. Coisa esta qual, foi esteriotipada através das incontaveis reuniões de familia em que tios bebados se reuniam em volta de uma mesa redonda armada de cartas e feijonzinho mágico (vulgo tentos) gritavam e berravam simplesmente para disputar quem mentia melhor ou tinha de fato a melhor carta. Sim o blefe faz parte o jogo, uma postura agressiva faz parte do jogo... mas fazer panca de machão, quebrar a mesa, berrar e agitar seus braços como um macaco (vide-Uma odisseia no espaço) acredite não traz nada de interessante ao jogo, só incomoda as pessoas ao seu redor e para um bom jogador demonstra que: ou você não sabe jogar, ou não tem nada na mão, ou é um babaca (o que resume bem as duas outras hipoteses).
"Caí num cupinzeiro e caí de costa! é truco seu bosta!"
  •  Ouvir axé: Não, não me refiro ao desodorante, e sim ao genero músical. Outro cliché vagabundo é o axé. Não me refiro as letras repetitivas com a mesma "mensagem" (algo que varia entre tira o pé do chão, ou vou te pega). Mas sim ao fato de que para se escutar axé de forma produtiva tem se que faze-lo SEMPRE (olha que escrevi sempre com o CapsLock pressionado e em negrito, isso quer dizer alguma coisa) no maior volume permitido pela caixa de som. Afinal de contas, quem escuta axé é feliz, e quem é feliz tem de demonstrar isso pra tudo mundo! ... ptqp viu¬¬
  • Ouvir Sertanejo: Assim como seu vizinho aí de cima, o sertanejo segue a mesma linha. Não tem nada mais cliché que escutar sertanejo no último volume. Não vão pensar que eu odeio sertanejo ou axé, e penso mal de quem o faz e gosta (exceto minhas vizinhas essas eu odeio mesmo); mas sejamos sinceros as letras são sempre a mesma coisa (perdi você, amo você, você não me quer e poir aí transborda-se a originalidade do autor) além de que a batidinha do violão raramente muda. Mas mais cliché que ouvir sertanejo no ultimo volume, é insisitir em acompanhar o cantor, alcançar o mesmo tom agudo que ele, e assim berrar aos 4 cantos do mundo (segurando uma garrafa de cerveja) o quão partido seu coração está- ou apaixonado. Simplesmete coisa besta, digina de universitariozinhos goianos metidos a paulistas (os quais iniciaram com essa febre de que sertanejo é cult e tudo mais).
  • Eu tenho um carro: não sei de onde veio essa coisa, mas as pessoas tendem a considerar o carro como uma expressão, um alongamento de quem são o que pensam e sei lá mais o que. Para tanto não basta simplesmente ter um carro que funciona direito, ou está sempre limpo... NÃOO! você tem de faze-lo chamativo, buzinar sempre que parar na frente da casa dos outros, cantar pinel, por o som na ultima altura e claro, seja para dar ré, ligar o som, ou ajustar o retrovisor roncar o motor o mais alto que puder
  • Morar em republica: Como já to ficando muito nervoso encerro a lista de tópicos com este aqui. Basicamente o cliché-mor, apresentado pelas ogras (ops vizinhas) e que eu odeio é o esteriótipo  daquela coisa: " ah eu moro sozinha com minhas amigas, lonje de papai e mamãe, sou universitária e tenho total liberdade, eu que pago minhas contas e lavo minhas roupas, posso fazer tudo o que quiser!"- logo depois aumentam o som, abrem outra garrafa de cerveja, berram alguma musica e começam outra rodada de truco, ao passo que o amiguinho vileno louco pra tirar uma cascquinha facil está buzinando no portao pra poder entrar.
Creio que consegui apresentar meu ponto de vista, apesar de que comecei a falar de uma coisa e terminei em outra.. mas enfim; bom Carnaval pra quem ler isso aqui.

2 comentários:

Lucas disse...

o povo ta até bonito comparado ao do ogre's den ... (sim o apelido carinhoso q eu dei ao inferno next door) ¬¬

Emilliano Freitas disse...

Victor???? Truco sem performance não é truco!!!! Tem que ter batidas na mesa, palavrão, sinais pro parceiro!
Se não tiver isso vira cu! E cu nem tem emoção.